Toreros de alternativa) VÍTOR MENDES, poderío, técnica, fuerza de voluntad...

Cartel conmemorativo de la exposición por los 35 años de alternativa

Toreros de alternativa.

Hoje : VÍTOR MENDES

Victor Manuel Valentim Mendes, nasceu a 14 de fevereiro de 1959 em Marinhais, filho de Esmeralda Ramos Valentim e Jaime da Conceição.
Aos 4 anos de idade foi viver para Vila Franca de Xira, devido a motivos profissionais do pai, e foi nesta localidade que em tempos foi apelidada de “Sevilha Portuguesa”, que sentiu o ambiente taurino e que certamente o influenciou a seguir a vida de toureiro.
A 13 de setembro de 1981, na Praça de Barcelona, Victor Mendes tira a sua alternativa, tendo como padrinho Palomo Linares e testemunha José Mari Manzanares. Os toiros eram da prestigiosa ganaderia Carlos Nuñez.
A sua corrida de alternativa foi apoteótica, cortou 3 orelhas e saiu em obras pela porta grande da Monumental de Barcelona. A praça estava cheia, centenares de aficionados portugueses deslocaram-se a Barcelona para ver a consagração de Victor Mendes.
O Maestro Victor Mendes foi o expoente máximo do toureio, é considerado por muitos o maior e melhor matador de toiros portugués das décadas de 80 e 90 do século XX.

Víctor Manuel Valentim Mendes nasceu em Marinhais a 14 de Fevereiro de 1959 e foi baptizado na Igreja de São João, em Coruche, onde o pai era cabo da GNR. Cresceu em Vila Franca para onde foi viver com quatro anos de idade quando o pai passou a ser escrivão do tribunal local. Com humildade, conta que a mãe trabalhava a dias para ajudar o orçamento familiar.
O gosto pelos toiros despertou logo na Escola do Bacalhau onde fez a instrução primária. O pai que era aficionado e via com bons olhos o gosto do filho pela festa brava pediu ao maestro José Júlio que lhe desse as primeiras lições. Mais tarde Victor Mendes conhece os irmãos Badajoz e foi António que o preparou para novilheiro e lhe apadrinhou a alternativa.
Víctor Mendes foi figura mundial, triunfou nas principais praças e destacou-se pela sua humildade, inteligência, coragem, cultura taurina e facilidade de chegar ao público com simpatia, emoção e calor humano. Cumprimenta com o mesmo afecto o sapateiro que lhe arranja as botas e o Presidente da República, ou o Rei de Espanha.
O matador é crente e costuma entrar nas igrejas para meditar e estar com Deus mas não tem qualquer devoção por santo ou santa em particular. Costuma rezar antes de entrar na arena. Não é supersticioso nem usa qualquer amuleto. Orgulha-se de ter o melhor museu nacional da tauromaquia em sua casa onde guarda, troféus, muletas, espadas, capotes, trajes, cabeças de toiro, quadros, esculturas e memórias sem fim. 
Em Setembro de 2001 cortou a coleta em Vila Franca, mas continuou a tourear porque não consegue viver sem a emoção de estar diante um toiro.
(Perfil publicado em "O Mirante", ano de 2006)

 

Victor Mendes é um dos melhores matadores de toiros de sempre. Natural de Marinhais, cresceu no meio taurino de Vila Franca de Xira e afirmou-se nas melhores praças do mundo. Tomou alternativa há 40 anos, toureou em mais de mil corridas. Tem o corpo marcado por dezanove cornadas que são o mapa da sua peregrinação por uma profissão onde poucos triunfam. Esteve por três vezes às portas da morte e diz que se agarrou à dor como forma de se agarrar à vida. Na arena costumava sorrir. Por se sentir feliz e para afastar o medo.