"Os toiros de Adolfo Martín em Évora", um apontamento de Manuel Peralta Godinho e Cunha


www.tribunadatauromaquia.com - 
TRIBUNA da TAUROMAQUIA
+ Texto : MANUEL PERALTA GODINHO e CUNHA -
+ Fotos : "BLOGUE PARTEBILHAS" - 
Pulsar sobre cada imagen que quieran ver a mayor tamaño.

Os toiros de Adolfo Martín em Évora
Sobre a corrida de 23 de Setembro de 2023 na Arena d’Évora algumas crónicas e artigos de opinião foram publicados e mais ou menos todos relacionados com o curro de toiros que Adolfo Martín enviou, pela primeira vez, para Portugal. Sobre isso a generalidade de opiniões é desfavorável ao ganadero que mandou para Évora um curro com idade e apresentação descuidada.
A ganadaria de Adolfo Martín, bem como a de Miura e de Victorino Martín, são consideradas como ganadarias duras, apreciadas em Espanha pelo público “torista”. Estes toiros saem à praça, em geral, agressivos e a não perdoarem erros durante a lide, razão pela qual algumas “figuras” não querem ser incluídas nos cartazes onde este tipo de toiros esteja anunciado.
Limpezas de curros todas as ganadarias fazem, mas nem todas as empresas aceitam e poucos toureiros se colocam em frente de toiros no limite de idade para serem lidados.
Toiros a mansear, difíceis e complicados, como o que abriu praça em Évora, já têm saído em praças de Portugal, poucos são quem os deseje lidar a cavalo e nem todos os grupos de forcados os querem pegar.
Ao contrário dos Amigos que ouvi ou li comentários pouco ou nada abonatórios sobre esta corrida, não saí da Praça de Évora assim tão triste e guardei para mim alguns motivos de interesse.
Assim gostei de ver a determinação dos jovens cavaleiros Joaquim Brito Paes, António Ribeiro Telles II e Tristão Telles Queiroz e a dignidade e pundonor dos forcados.
Penso que toiros assim, nenhum rejoneador espanhol os quereria lidar e ficou-me na memória a decisão e firmeza de Tristão Telles Queiroz.
Na arena e para pegar os seis “Adolfos” estiveram dois dos mais prestigiados Grupos de Forcados Amadores: de Montemor e de Évora e que, como é seu apanágio, resolveram e bem todas as situações. Recordo com satisfação, a determinação do cabo António Pena Monteiro (Montemor) na pega de cernelha ao toiro que abriu praça e a enorme segunda tentativa de João Maria Cristóvão (Évora) ao segundo toiro da ordem.
Creio que não haverá muitos Grupos de Forcados a querer pegar toiros de Adolfo Martín, mas tenho a certeza de que estes dois Grupos não se negariam a pegar outro curro desta ganadaria.
Na bilheteira ficaram muitos dos mais caros bilhetes do país, o que não permitiu aos aficionados de Évora encher a Praça.
Manuel Peralta Godinho e Cunha
Setembro de 2023

Artículo Anterior Artículo Siguiente