"Idiocracia vs Taurocracia, de que lado está?", outro genial artigo da Dra. Ester Tereno

Cartaz da comédia distópica Idiocracy: a realidade vai superar a ficção? | Imagem: 20th Century Fox


“Idiocracia, o domínio da estupidez”.


O conceito foi popularizado pela comédia Idiocracy, que mostra a humanidade totalmente emburrecida.

A origem da palavra idiocracia é grega: idiotes (idiotas) + cratos (poder) = poder dos idiotas. 

O filme conta as aventuras de um bibliotecário do Exército que hiberna por 500 anos. Quando desperta em 2505, o mundo está tão idiotizado que este se torna o homem mais inteligente do mundo.

E porque é que estou a falar de um filme que nunca ouviu falar sequer? Para “enquadrar” a realidade que estamos a assistir, e ainda não chegámos a 2505 sequer!


Vamos a exemplos ilustrativos? Alguns que estão na berra: As declarações que o Rejoneador Pablo Hermoso de Mendoza fez numa entrevista, mas então um profissional tem um discurso destes? Renovar e inovar é bom, mas tirar a essência de um ritual é condená-lo à extinção. Cá para mim, estas declarações violam a dignidade de tudo.

Mais parece um anti a falar! 


E agora temos um sem fim de autores com as suas obras reescritas, como Agatha Christie, Enid Blyton, Roald Dahl, etc., para adaptá-los às "novas sensibilidades, modificando referências étnicas e descrições físicas dos livros. Alguma vez pensámos assistir a isto? Se eu fosse a eles, vinha assombrar esta gente toda. Mas é que vinha mesmo.


Somado à história da obra de Miguel Ângelo, David, que chocou uns pais americanos por considerarem a mesma pornográfica, está tudo dito! Já só falta porem sobrancelhas à Mona Lisa, por favor...


Ah, e não sei se viram no famoso jornal francês, Le Figaro, este mês, convocavam uma manifestação a favor dos ratos. Com tudo o que está a acontecer por lá, ainda têm vagar para isto.


Outra, a Universidade de Helsínquia atribuirá um doutorado “horroris causa” de Teologia a Greta, a mesma que considera que a crise climática deve-se à liderança de homens heterossexuais, o que demonstra o seu pensamento degradante. 


Mais uma, a última e ridícula campanha do PACMA a propósito do Dia da Mulher, equiparando-a a vacas, a cabras, a ratos e a baratas. 


E porque dou tantos exemplos desagradáveis? Porque há já uns bons anos ando aqui a “pregar” e a falar neste progressismo assustador e galopante, e estamos a ser “engolidos” por ele!

É oficial, fomos para o inferno mas com resiliência, eco-solidariedade e perspetiva de género, valha-nos isso!

Um novo estudo sugere que pessoas com personalidades sombrias usam a vitimização como uma arma para obter vantagem sobre os outros, está tudo dito.

"A mente intuitiva é um dom sagrado e a mente racional é um servo fiel. Criamos uma sociedade que honra o servo e esqueceu o dom." Albert Einstein 

Metáfora: Promova o orgulho das ovelhas e insulte os notáveis. O medo é a melhor maneira de guiar uma sociedade pouco inteligente. 


Taurocracia


Por oposição à Idiocracia, inventei mesmo agora a Taurocracia, também de origem grega, taurus (touros) + cratos (poder) = poder dos touros, generalizando, o poder dos taurinos.


O touro engendra em si um poder e uma virilidade que apelam à cultura mitológica e à evolução desse mesmo animal no Mediterrâneo. É que o touro é a origem da Europa, caso não saibam!

Seria um mundo perfeito, onde prevalecem as boas maneiras, a classe, a boa-educação, a alegria, a amizade, o estudo, o esforço, a eloquência, a cultura, o pensamento crítico, o intelecto, a estética, a disciplina. Um mundo que se respeita a si mesmo.

Atingimos o momento em que a sociedade decidiu que o animal é homólogo do ser humano. 

E chegou a Primavera, e com ela feiras, golondrinas, alegria, bom tempo, grandes corridas, cheias, Santarém, Vila Franca de Xira, etc. 

Foram tardes de glória, arrebatadoras, com pessoas reais, com aquela grande

“pinta” que não se aprende com as tendências, muito menos com tutoriais.

Cheias, e cheias de crianças! Porque é um erro “poupá-las” de experiências e de tradições, ao ritmo de um tik tok. É um erro não apenas infantilizar crianças que são infantis, é muito pior infantilizar uma sociedade. Tudo isso adoçando, anestesiando e criando ficções, porque negar que a morte existe é apenas uma forma contraproducente de escapar dela. 

E há quem nos chame de bárbaros, mas o que há de mais civilizado do que transformar a morte de um animal num evento ritual misterioso, com conotações estéticas tão poderosas? Melhor num matadouro sem dignidade nenhuma? Não me parece.

O que nos importa sobre os touros é a sensação de que há algo que não entendemos completamente. É um mistério que só nós sentimos. Como o primeiro amor. Como reler um livro. Voltamos porque queremos gostar de novo. Sem emoção não há tourada, nem arte, nem vida.

É por isso que os touros são o que são, porque, por mais modernos que sejam, eles não podem ser recriados por Inteligência Artificial. 


Ah, e foi num dia 28 de Março de 2012, que foi declarada a Tauromaquia Barranquenha como Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal, pelo seu interesse, história e especificidade, que orgulho!


Por tudo isto, os touros sobreviverão à cultura do cancelamento, da dita superioridade moral, e continuaremos a desfrutar de um espetáculo maravilhoso. 


Sei que tenho uma visão optimista das coisas, e acredito que unidos, chegaremos a uma Taurocracia como deve ser! Não somos nada sozinhos, e enquanto não nos capacitarmos disto à séria, nada feito meus amigos, não vamos a lado nenhum digno, porque os outros lados não interessam para nada.


Pelo que pergunto, já escolheu o que prefere ter daqui a uns anos, Idiocracia ou Taurocracia?


-------
tribuna da tauromaquia 
by Dra. ESTER TERENO 
-------

Artículo Anterior Artículo Siguiente