"Praça desmontável", otros nuevos versos a no perder de Manuel Peralta Godinho e Cunha

Praça desmontável
Colocada em espaço cedido da aldeia
Longe da estrada, perto da esperança
Enorme vontade reposta em ideia
Foguetes, tambores e grande festança
Arena pequena mas bem tratada
Campinos valentes, muito treinados
Gente arrumada e todos sentados
Toiros p’ra cavalo já embolados
Capela de ilusões e grandes paixões
Como enorme catedral de toureio
Arena cuidada, lisa, bem regada
Lidadores valentes e sem receio
Luzentes de prata as quadrilhas
Alinham-se os forcados na entrada
Dois cavaleiros e um novilheiro
De “luces”, seda e oiro, é o primeiro
Os jovens cavaleiros bem trajados
Sem medo da morte, bem montados
Avançam em trotes cadenciados
Em soberbos cavalos de cortesias
Jovens forcados aqui se apresentam
Novas jaquetas escarlates ostentam
Oportunidade aceite e ambicionada
Enfim a corrida agora tão desejada
A banda e música forte de encantar
Lides a cavalo, vibrantes de recordar
Pegas de caras, num garbo de atitudes
Faenas sonhadas. Ilusões para ficar
Tourada com carências mas de virtudes
País de povo autêntico e sem agravo
Festa lusa, das gentes, do toiro bravo.

Manuel Peralta Godinho e Cunha
Agosto 2022