Corrida de toiros em Baião : evocação de tempos vividos por Raúl Caldeira

A propósito de la corrida de toros que este 23 de agosto se celebra en Baião, donde el río Douro marca frontera entre la región de los Vinhos Verdes y la propia región de los vinhos do Douro... nuestro muy estimado amigo Raúl Caldeira ha escrito una oportuna evocación de tiempos pasados...

Raúl CALDEIRA, del club de amigos de la tribuna da tauromaquia

Recordo com alguma nostalgia os tempos em que, neste dia 23 de agosto, dia de São Bartolomeu, nos dirigiamos a Baião para acompanhar o Grupo de Forcados Amadores da Chamusca. Antes, porém, duas paragens obrigatórias. Uma na estação de serviço da Mealhada, para uma revigorante sandes de leitão, e outra em Vila Meã, em casa do Amigo Pinto, para uma aconchegante cabidela regada com vinho verde tinto gelado.
Depois partida para Baião e ir ao encontro do nosso Amigo Alexandre Cabral Campelo e de seu Pai, Dr Cabral Campelo, no Solar de Penaventosa, o qual abria de par em par para nos receber com o senhorio que lhes era reconhecido. Era num dos anexos do Solar que a rapaziada sempre se fardava e, após a corrida, não faltava o lanche partilhado. Companheiros de viagem o sempre recordado Manuel João Valério "Nekas", Antonio Carlos Castelão "Guedelha", o inesquecível José Manuel Moedas Lino "Pernita". Depois da corrida, e já noite dentro, uma voltinha pela festa e o regresso a casa com paragem na estação de serviço de Antuã.
Outros tempos de uma "outra vida".
Ficam as lembranças!
Artículo Anterior Artículo Siguiente