Tourada de Vila do Conde esbarra com "antitaurino" presidente da Câmara e... acaba tudo nas mãos da Justiça

No se recuerda que en su campaña electoral este personaje se hubiese confesado antitaurino, o que llevase en su programa impedir las corridas de toros en Vila do Conde...

Se veía venir, porque este personal que es "anti" ejerce allá donde esté, impone -si puede- sus gustos particulares; y el tal Vítor Costa no escondió hace semanas, cuando se anunció que iba a celebrarse una tourada en tierras de Vila do Conde, diciendo que iba a poner los impedimentos que el considera legales para que la tourada no pueda celebrarse; es más, irrogándose la representatividad de todos los vilacondenses se atrevió a decir que "ese espectáculo no lo queremos aquí"... 

De modo que allá anda estos días ocupado, el Presidente de la Câmara Municipal de Vila do Conde y la corte que le rodea, a tratar de impedir que se celebre el próximo día 23, la anunciada corrida de toros, cuyo cartel pueden ver en la parte inferior derecha de esta página principal de la TRIBUNA da TAUROMAQUIA...

Na semana passada, a Associação Juntos Pelo Mundo Rural (AJPMR) e a empresa unipessoal Paulo Pessoa De Carvalho montaram uma praça de toiros temporária num terreno privado de Ferreiró (Vila do Conde) para a 23 de Julho poderem realizar uma corrida de touros nesta freguesia vilacondense. 

Os promotores da tourada tramitaram todo onde correspondía (IGAC, etc. etc.) mas também elevaram á Câmara Municipal a solicitude de licenciamento... Ate referiram que os funcionarios da Câmara os atenderam muito simpáticos, no día em que alí estiveram com a papelada... Mas ao final resulta que a Câmara recusa a tourada em Vila do Conde quando já vão muitos centos e centos de bilhetes vendidos... A autarquia indeferiu o pedido de licença de espectáculo itinerante. Organizador diz não ter sido informado e admite já seguir a via judicial. 

"A corrida de toiros será cancelada", asegura a Câmara de Vila do Conde que preside Vítor Costa, outro antitaurino presidente que se une ao Aires Pereira (Póvoa de Varzim) e ao antigo de Viana do Castelo (José María Costa) grandes "artífices" dos "movementos municipais anti-touradas" como irónicamente já estão a ser catalogados os "novos inquisidores" que não querem respeitar nem colaborar em modo algum com a existencia dum espectáculo absolutamente legal em Portugal.

"Para acompanhar os nossos principios e valores... não queremos touradas", proclama o tal Vítor Costa, do Partido Socialista, quem asegura que "não existem condições para o evento se realizar, por violar normas legais e regulamentares que se predem com a localização da montagem da praça de toiros". Desde a Câmara Municipal alegam uma serie de impedimentos, referidos a que "as vias envolventes de acesso ao local não têm largura suficiente para estacionamento ou para o acesso de um veículo de emergência". A existência de "obras nas imediações e o estado de contingência de perigo de incêndios” são também motivos para a não atribuição da licença, apontou a autarquia...

"Repudiamos a tentativa de sabotagem política do exercício de um direito e de uma liberdade..."

Desde a a Associação Juntos Pelo Mundo Rural (AJPMR) e a empresa unipessoal Paulo Pessoa De Carvalho não ha outra coisa que indignação. Mediada a tarde de hoje, emitiram o seguinte comunicado :

A Associação Ibérica Juntos Pelo Mundo Rural e a firma Paulo Pessoa Carvalho, como pessoas de bem que somos iremos deixar à consideração dos magistrados judiciais a apreciação jurídica deste assunto, sendo certo que apenas pedimos que seja elevado a soberano, o princípio da legalidade, principio este que está ser ostensivamente negado pelo município.
Seguimos firmes na intenção de realizar a corrida de touros, na data, hora e local já designados, mantendo a venda de bilhetes.

Repudiamos ainda a tentativa de sabotagem política do exercício de um direito e de uma liberdade, que é o direito de uma pessoa coletiva promover espetáculos e a liberdade do público poder aceder ao espetáculo.

Conforme já referido, a lei portuguesa permite a organização e realização de corridas de touros e também permite que o povo assista e celebre os espetáculos tauromáquicos, desconhecemos se o município socialista de Vila do Conde tem leis próprias. Estamos em Vila do Conde porque os Vila Condenses e todos os aficionados do Norte nos pediram para vir.

E recordamos ao Sr. Presidente da Câmara que não é dono de Vila do Conde ou dos Vila Condenses, aliás, em 2021, apenas pouco mais de 1/4 dos Vila Condenses votou no partido socialista e em lado nenhum os 71.000 eleitores sufragaram a proibição de touradas neste concelho!
Assim, em defesa da lei e da liberdade de gosto, iremos até às últimas consequências.
Viva a Liberdade de gosto, viva a Tauromaquia!

"... a lei portuguesa permite a organização e realização de corridas de touros e também permite que o povo assista e celebre os espetáculos tauromáquicos, desconhecemos se o município socialista de Vila do Conde tem leis próprias..."