Sobre a tourada a cavalo em Espanha) Interessante debate de Murteira Correia, Ferreira Palha e Jesús Lorenzo

Joaquim Murteira Correia, Francisco Ferreira Palha y Jesús Lourenço son 3 buenos amigos del club de la TRIBUNA da TAUROMAQUIA y... sobre el asunto de cómo se Torea a Caballo en España en las más de las ocasiones, sostenían precisamente en Facebook este interesantísimo cambio de impresiones. Inició el tema Murteira Correia -y no le falta razón en buena parte de lo que expone-. Tampoco a los otros dos contertulios. Merece la pena leerles porque es tema -no por omnipresente- nunca pasado de actualidad...

Francisco Ferreira Palha :
"Enquanto cá se usarem bolas nos cornos , todas as comparações serão Incompletas.
Se os toiros estivessem em pontas , das duas uma , ou os cavaleiros portugueses ( mesmo os bons), não toureavam “ de verdade”, ou já não havia cavalos bons a tourear"
Joaquim Murteira Correia :
Amigo Francisco Ferreira Palha : o José Mestre Baptista, com o Falcão e o Forcado, toureava-os de verdade da mesma forma !!!...
Mas tens razão, não há nada a comparar !!!...
Até porque aqui os Forcados são imprescindíveis !!!...
O que se pedia, digo eu, é um pouco de mais respeito pelo touro, porque o animal não é propriamente um paliteiro !!!...
Aquilo a mim, não me diz rigorosamente nada !!!...
Mais, não gosto mesmo, não me emociona !!!...
Um abraço

Jesus Lourenço :
Grande verdade, quanto tenho lutado contra esse desproposidado estigma e, demais com quem tem vindo atafulhar a nobre, bela e clássica Arte de Marialva!
Enfrentar touros com rodopios descumonais, agasta-los com propositos despropocionais, enfim, touros parados e andar à volta a cravar ferros, ferrinhos, rosas e rosinhas, com o animais já sem se poderem mexer e a deixar ferros só por que sim, em nada dignifica o "toureiro" e o próprio toureio - isso não quero e muito menos gosto de vêr, como também detesto esse mesmo jeito fácil de lidar... cravar ferros pescados, estribos passados, câmbios exagerados e, chamam a isso tourear?!
O que quero vêr nas arenas é dignidade, respeito pelo público e principalmente pelos touros.
Acabar com manhas e artimanhas para iludir o público por incauto ser, é simplesmente desprezível - para vêr cavalos bonitos e bem arranjados vou ao circo, sempre é bonito e não me irrito!
Meu querido Amigo, digo-lhe a si que partilha do mesmo, único e integro toureio de verdade que existe: não me canso de vêr o Mestre António Telles tourear, a ele e mais uns pouquinhos imergentes que sabemos que andam aí, de resto, tenham paciência... não contem comigo.
Parabéns pela sua avalisada análise - Obrigado.
Francisco Ferreira Palha : 
Claro!
Mas também temos que respeitar a verdade é pôr grandes ferros de caras de verdade mas a seguir levar um toque , devia ser ausente de palmas.
A verdade , o valor , está em fazê-lo “ limpo”.
Poucos são os que , um dia ou outro ,nao levam grandes porradas e a seguir vêm a gritar pedir palmas ao público (coisa que também não gosto de ver). Poucos ou nenhuns.