Garraiada da Escola Agrícola de Évora – 1964



Garraiada da Escola Agrícola de Évora – 1964

Aqui está uma fotografia (Artex-Foto) que documenta um dos aspectos das Festas da Escola de Regentes Agrícolas de Évora: a Garraiada.
Nesses tempos as academias não tinham essas angustias existenciais que actualmente se verificam, onde parte dos alunos ficam hoje atormentados se nas suas Festas for incluída uma garraiada e fazem plenários e enormes discussões, uns contra e outros a favor.
Em Évora e nos anos 60 estava tudo definido. Mantinham-se as tradições e no caso da Escola Agrícola todos os anos havia a Garraiada numa tarde de Maio na Praça de Toiros; à noite o Baile de Gala nas instalações da Escola, na Herdade da Mitra; no dia seguinte mais um baile durante a tarde, a que se chamava “Chá Dançante”.

A Garraiada era um espectáculo com enormes tradições em Évora e os “diestros” e respectivas madrinhas desfilavam em carros descapotáveis nas ruas de Évora e esse cortejo dirigia-se à Praça de Toiros para se realizar o espectáculo e sempre com a lotação esgotada. O povo de Évora queria e gostava da Garraiada da Escola Agrícola e enchia a Praça.
Ao contrário do que hoje se verifica, não havia discussões partidárias relacionadas com a realização da Garraiada, o Baile de Gala era o de maior importância no Alentejo e o Chá Dançante servia para confirmar algum namoro começado de véspera.
E o grito académico sempre presente:
Ao Alto ao Alto – CHARRUA!
Outros tempos…

Manuel Peralta Godinho e Cunha