Viana do Castelo) In memoriam : contra aqueles que esmagaram uma tradição que vinha de 1609!


Desde 1609 hay constancia de la celebración de corridas de toros en Viana do Castelo. Y así fue hasta que llegó el siglo XXI y un innombrable presidente de la Câmara Municipal -convertido en antitaurino furibundo- articuló toda una operación de altura (en combinación con los dueños de la plaza de toros existente que vendieron aquel recinto a la Câmara Municipal por un auténtico y ridículo plato de lentejas).

De la mano de fundamentalistas políticos, hoy Viana do Castelo reniega de su historia, de su pasado, de sus tradiciones, de su enorme protagonismo taurino a lo largo de siglos. No todos los vianenses piensan así; pero el poder político instalado culminó estos años atrás un proceso de acoso y derribo -nunca mejor dicho- tras hacerse con la propiedad de la plaza de toros situada en la zona de Argaçosa, haciéndola desaparecer para construir ahora, allí, un invento... lo que sea con tal de que no vuelva a haber una corrida de toros en Viana do Castelo.

Las imágenes que a continuación siguen no son sino un pequeño homenaje a la memoria de todos los aficionados taurinos que en Viana do Castelo y su zona inmediata fueron, a los que aún siguen siendo; en modo de desagravio, en todo caso, en señal de admiración y respeto al Movimento Vianenses pela Liberdade que tanto lucho por tratar de evitar la desaparición de las corridas de toros en Viana do Castelo, enfrentándose -las más de las veces en solitario- al siempre poderoso poder político del momento. Ellos sí tienen, en esta hora triste para la Tauromaquia portuguesa, la conciencia muy tranquila... Otros, que miraron para otro lado -en el Portugal taurino- no podrán decir lo mismo.











































---------------------------------

A origem das touradas em Viana do Castelo perde-se no tempo. A cidade tem uma das mais longas e documentadas tradições taurinas de Portugal. Viana começou por correr toiros na actual Praça da República, ainda no século XVII, quando as praças maiores das cidades eram usadas como praças de touros, para celebrarem eventos de grande importância para as comunidades. Depois disso Viana já teve pelo menos 8 praças de touros, mantendo até poucos anos atrás uma das mais bonitas praças de Portugal, que se encontrou finalmente votada propositadamente ao abandono pela irresponsabilidade da autarquia.

Vejam algumas datas fundamentais da história taurina de Viana do Castelo :

1609 – Primeiro registo escrito da existência de uma tourada em Viana, que ocorreu no Campo do Forno, actual Praça da República) por ocasião da transladação dos restos mortais de Frei Bartolomeu dos Mártires para a capela-mor da Igreja de São Domingos. Nesta época ainda não existiam praças de toiros e as corridas ocorriam nas praças da cidade. Se foi feita uma corrida para celebrar um evento de maior importância na cidade, quer dizer que as touradas já seriam uma prática antiga e de muita importante na cidade.
Na imagem : pintura do Campo do Forno, actual Praça da República, onde decorriam as touradas em Viana no sec. XVII

Descrição da Corrida de Touros em Viana em 1609, no séc. XVII, a propósito da transladação dos restos mortais de D. Frei Bartolomeu dos Mártires (que faleceu em Viana no ano de 1590, com 76 anos) para a capela-mor da Igreja de São Domingos, que consta no livro “Vida e Obra de Frei Bartolomeu dos Mártires, de Frei Luís de Sousa:

Capítulo XIX:

“Das festas que houve na vila [de Viana] esta tarde:
Era público na Villa que se avião de correr touros aquella tarde, & que estavão já encerrados na praça que chamão o Campo do Forno. Tanto que se deu fim às Vésperas & Nocturnos, começou o povo a correr a ella. Avia muytos palanques em que se acomodar, porque a praça he grande, & cercada de casas nobres, onde também muytos forasteiros erão admittidos & agasalhados com franqueza e cortesia: e asy não faltava lugar senão aos que folgavam aparecer ou gétishomés ou arriscados no corro.
(…)
Mas passando aos [touros] de Vianna sabemos que alegrarão por bravos & pola fermosura da gente que enchia a praça & polo concerto e aparato de janelas e palanques tudo coberto de varias sedas que fazião belissima vista: & não se consta que ouvesse desastre, que foi bem notavel maravilha em corro tão pejado de gente. Junto da noite depois corridos mhuitos sahiu hum que pola novidade da invenção que trouxe foi muito aprazível. Era grande e temoroso, & vinha armado todo de huas cobertas de couro embutidas de artificios de polvora e nos cornos duas grandes rodas do mesmo artificio bem arrematadas. (…).”

Fonte: Sousa, Frei Luís de, “A Vida de Frei Bartolomeu dos Mártires”, Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1984, p. 784-789.

15 de Setembro de 1685 – Numa carta enviada pelo Rei D. Pedro II ao juíz de fora de Viana da Foz do Lima, obriga a que os touros sejam despontados nas touradas, devido ao elevado número de mortes que se registavam.

1772 – Começam as Festas em honra de Nossa Senhora da Agonia, tendo D. José I concedido aos vianenses a autorização para realizar uma Feira Geral Franca a 18, 19 e 20 de Agosto. Desde 1783 é celebrado no dia 20 de Agosto uma missa solene em nome da Nossa senhora D’ Agonia.

1869 – Primeira corrida de toiros realizada na praça de touros do Castello da Barra.

1871 – As touradas passam a integrar o programa oficial das Festas em honra de Nossa Senhora da Agonia, tendo sido para o efeito construída uma praça de touros em madeira, que ficou conhecida por Barracão dos Touros.

19 de Agosto de 1871 – Dá-se a primeira corrida no Barracão dos Touros, de madeira, tendo assistido mais de 1000 pessoas.

1876 – Nasce Francisco de Lima da Costa Barreira, mais conhecido por Morgado das Covas, ilustre cavaleiro tauromáquico de Viana do Castelo.

1891 – É construída outra praça de touros de madeira no Campo da Agonia.

Imagens de tourada em Viana, no ano de 1908. Revista Ilustração Portuguesa


1904 – Primeira garraiada em Viana do Castelo
Tourada de amadores em Viana do Castelo, no ano de 1908. Revista Ilustração Portuguesa


1910 – É fundado o Viana Taurino Clube que ainda existe actualmente.

Sede actual do Viana Taurino Clube

1912 – É construída nova praça de touros de madeira no Campo da Agonia

Uma das praças de touros de madeira que Viana teve, instalada no Campo da Agonia. Os vianenses chamavam-lhe “Barracão dos Touros”.


1921 – É construída nova praça de touros de madeira no Campo da Agonia

1926 – É construída uma praça de touros de madeira junto à Praia Norte.

1933 – É construída uma praça de touros de madeira na avenida da Praia Norte.

1949 – É construída a última praça de touros de Viana do Castelo, em alvenaria, na Argaçosa, onde toureiam ao longo das décadas as maiores figuras da tauromaquia portuguesa e espanhola. Mantém a sua actividade até 2008.
Construção da praça da Argaçosa.

A última praça, no día en que a Câmara mandou obreiros a botar abaixo...


2008 – Câmara compra a praça de toiros da Argaçosa pelo valor simbólico de 5000€ para impedir, num gesto autoritário, a realização do corridas de touros, deixando-a ao abandono até muito tempo depois.

27 de Fevereiro de 2009 – Presidente da Câmara, Defensor Moura, declara Viana do Castelo Cidade anti-touradas.

25 Abril 2009 – Um grupo de cidadãos promove uma manifestação a cavalo opondo-se à decisão arbitrária de Defensor Moura declarar a cidade anti-touradas.



Imagens da manifestação dos vianenses, a 25 de abril de 2009, contra a declaração de Viana como cidade antitouradas.



Agosto 2011 – Grupo de cidadãos tenta organizar uma corrida de touros em Viana do Castelo, numa praça desmontável, mas não se veio a realizar por motivos logísticos.

19 de Agosto de 2012 – As touradas voltam a Viana do Castelo, numa praça de touros portátil instalada na Areosa, junto ao Castelo Velho, à qual assistiram mais de 2.300 pessoas. Foi um dia histórico para a reposição da liberdade em Viana do Castelo, contra o autoritarismo da Câmara Municipal.







31 Julho 2013 – O alargado grupo de vianenses que sempre se opuseram à declaração de Viana antitouradas, organizam-se no Movimento de cidadãos “Vianenses pela Liberdade”.



18 de Agosto de 2013 – Realizou-se mais a Tourada da Liberdade em Darque, com praça cheia de quase 3000 espectadores, sendo um rotundo sucesso. Os vianenses vieram mais uma vez em massa defender a sua cultura e liberdade.

A PARTIR DE 2013... A TAUROMAQUIA DESAPARECEU -CORRIDAS DE TOIROS- DA FAZ DE VIANA DO CASTELO E... NUNCA MAIS VOLVERAM AS TOURADAS...

Fontes bibliográficas:

Viana Taurino Clube, 100 anos de Vida, Rui Viana e Amândio Silva, Edição Viana Taurino Clube, 2012. Livro que contou com o apoio da CM de Viana do Castelo

Sousa, Frei Luís de, “A Vida de Frei Bartolomeu dos Mártires”, Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1984, p. 784-789.

Movemento "Vianenses pela Liberdade"

Praça portátil cheia pela liberdade e pela cultura de Viana do Castelo.


Praça cheia na tourada de 2013


A defesa da liberdade pelos vianenses


Protesto contra o autoritarismo do presidente da CM de Viana : não serviu de nada!

Pega na tourada de 2013

Matador António João Ferreira, 2013