"Estocada na Tauromaquia", interesante artículo de Edmundo Alves

En "Jornal Económico", otro personaje independiente ha elevado su voz para poner coto al acoso a la Tauromaquia, por parte de oportunistas políticos, radicales-fundamentalistas presuntamente animalistas, etc. etc.

Es así cómo el artículo "Estocada na Tauromaquia" deberían leerlo ustedes al completo donde corresponde, para lo que deben de accionar este link

Con todo, les anticipamos algunos párrafos como muestra de su especial interés...
"O projeto da deputada não inscrita deixa flagrantemente patente a desqualificação do ser humano. Preocupa-se em dar destino às praças de touros, mas não dedica uma palavra relativamente às consequências sociais e económicas da proibição da tauromaquia"
"O documento é revelador da ambição dos animalistas em moldar as consciências com recurso à força da lei, uma “política do espírito” pouco consentânea com uma sociedade livre".
"No caso dos animalistas, a distorção é ainda mais acentuada, pois revertem a hierarquia de valores em favor dos animais. Comungando da obsessão pós-moderna pelas relações de poder, transpõem este raciocínio dicotómico para as relações entre espécies, atribuindo aos humanos o papel de opressores e aos animais o de oprimidos, o que faz destes merecedores de favorecimento e especial protecção, como condição da cessação da exploração dos segundos pelos primeiros. Assim sucede, como adiante se explica, com o presente diploma".
"O projecto da deputada não inscrita deixa flagrantemente patente a desqualificação do ser humano. Preocupa-se em dar destino às praças de touros, mas não dedica uma palavra relativamente às consequências sociais e económicas da proibição da tauromaquia. Ganadeiros e cavaleiros não merecerão, a seu ver, contemplações, pois mais não são que resíduos feudais que urge eliminar".

"Quanto à sorte dos demais, na esmagadora maioria gente modesta, não são mais merecedores de atenção, pois cometem o duplo pecado de serem humanos e cúmplices do “massacre”. Não é surpreendente, vindo da pena de uma deputada que pertenceu a um partido que tardiamente introduziu as pessoas na sua designação, mas é chocante".
Edmundo Alves, Investigador IHC/UNL 
07 Setembro 2021



Artículo Anterior Artículo Siguiente