Entrevista) Ana Rita, ante el gran desafío de este sábado, frente a los toros de Miura

Este sábado, Ana Rita, la popular cavaleira portuguesa, vuelve a actuar en España y lo hace nada menos que ante los temibles toros de Miura. Mientras los llamados "primeras figuras" se hinchan a torear con los llamados "toros nhoc-nhoc" (los pastueños y mecánicos de origen Murube), toros que exigen para acartelarse allá donde les llamen; esta cavaleira lusitana acepta torear con lo que le pongan por delante, pensando que quien es torero(a) tiene que serlo siempre, en toda circunstancia. Y si un empresario quiere en la etapa de crisis actual aprovechar la bonanza de precios de las ganderías y anunciar en su plaza unos toros "de Miura", pues... no será Ana Rita quien diga "no"; protagonizando así este sábado el hecho histórico de ser la primera vez que una mujer torero se enfrenta a los legendarios toros de los hermanos Miura. 

Jaime Martínez Amante formuló a Ana Rita, con ocasión de este acontecimiento, en estos días previos a la gran cita de este sábado, las siguientes preguntas y obtuvo las siguientes respuestas...

Ao dia de hoje - 28/9/2021 - a Ana Rita atuou em 12 Corridas com o extraordinário resultado de 32 orelhas e 3 rabos. Era o panorama que imaginava no início da temporada 2021 ?


ANA RITA - Verdade, 12 corridas e mais 2 festivais nos quais cortei mais 4 orelhas, a verdade é que este ano apesar de não ser ainda o ano sonhado com tudo o que se tem passado com a pandemia não me posso queixar tenho corridas e graças a Deus as coisas estão a correr-me bem queria voltar aos cartéis do ano de 2019 em que toureei com quase todas as figuras todas as tardes e onde sempre triunfei junto deles com isto da pandemia as coisas complicaram-se mas penso que em breve tudo voltará para o seu sítio 


A sua trajetória tem sido pautada por muitos obstáculos. Tenta estabelecer metas a cada tarde ? 


As minhas metas são superar-me a mim mesma cada tarde, cada dia ser melhor e triunfar 


Gosta de desafios, está bem à vista. Já lidou esta temporada reses de José Escolar em Arenas de San Pedro e no próximo sábado em Valera de Abajo, lida Miuras e no passado domingo, pelas câmaras do Canal Castilla LaMancha TV, declarou que gostaria de lidar ainda este ano, se possível, reses de Pablo Romero. É um desafio às suas capacidades artísticas e toureiras ?


Gosto sim de desafios, mas este desafio na minha carreira é mais um acto para que os empresários vejam que eu dou a cara todos os dias, que não tenho receio de tourear qualquer encaste, que estou aqui para defender a tauromaquia e para conseguir o meu lugar que penso que já, há muito tempo sou merecedora dele e não tenho ido por caminhos fáceis porque sempre vou pelo caminho da verdade que todos sabemos que é mais duro é mais difícil mas não haverá ninguém que me possa dizer que não lutei pelo meu sonho porque faço tudo e trabalho duro para conseguir realizá-lo. Não é um desafio às minhas capacidades artísticas nem como toureira porque se eu sentisse em algum momento que não teria capacidades para tal, não o faria


A pergunta que todos os aficionados portugueses gostariam de lhe colocar. Porque não toureia em Portugal?


Em Portugal, em termos económicos, não facilita a contratação. Eu adoro Portugal é o meu País tenho muito respeito pelos meus seguidores tenho pena não atuar mais vezes por cá mas creio que tudo a seu tempo virá.


Fotos de Francisco Ramírez )









  

Artículo Anterior Artículo Siguiente