Rui Bento Vásquez, um toureiro de Salamanca

 TTE - 12.07.2021.Évora Hotel.png

Por Manuel Peralta Godinho e Cunha

No começo dos anos 80 um rapaz com o nome de Rui Bento, que nasceu em 10 de Abril de 1965 em  Preces, próximo do Carregado (Alenquer), quis ser toureiro e como foi estudar para Vila Franca a sua aficion começou a desenvolver-se, pelo envolvimento taurino daquela localidade mas também por ter como companheiro António Ribeiro Telles, que lhe proporcionou diversas oportunidades de participar em alguns “tentaderos”, onde se exercitava a tourear a pé as vacas que lhe cediam. Aprendizagem que foi sendo complementada com toureio de salão, executado sempre que tinha oportunidade e sob o orientação de Mário Coelho.

Em 1982 inscreveu-se num concurso de toureio a pé que se realizou na Praça de Toiros do Campo Pequeno. Concurso organizado pelo empresário Dr. Manuel Jorge dos Santos e por um programa tauromáquico da RTP. Nesse concurso participaram diversos jovens e Rui Bento saiu vencedor juntamente com José Luís Gonçalves e pouco tempo depois fez a prova para novilheiro na arena da primeira praça do país: Campo Pequeno.

Depois e com a ajuda de Mário Coelho e outros amigos consegue ir viver para Espanha, em Salamanca, e em 1983 e 1984 toureou umas dezenas de novilhadas e quando se apresentou na Praça de Laguna del Duero em Setembro de 1984, numa primeira novilhada com picadores, teve um sensacional triunfo e foi premiado com quatro orelhas e teve a possibilidade de passar a ser apoderado por Simon Carreño que o colocou em diversas novilhadas.Em Abril de 1986 fez a sua apresentação na Praça Monumental de Madrid onde triunfa e onde foi repetido mais duas vezes e em Portugal lida novilhos na Praça de Vila Franca em Outubro desse ano, alternando com Rafi Camiño e Miguel Litri. No ano seguinte Rui Bento actuou em diversas novilhadas em Espanha, França e Portugal, destacando-se também nas bandarilhas, sorte que executava com poder e facilidade.

Recebeu a alternativa na Praça de Badajoz em 25 de Junho de 1988, tendo como padrinho José María Manzanares e o testemunho de Paco Ojeda.

Infelizmente teve uma tremenda colhida em França, em 24 de Julho desse ano, na Praça de Orthez, ao bandarilhar o seu primeiro toiro. Colhida gravíssima que lhe atingiu o nervo ciático.

Porém, devido ao seu temperamento e enorme aficion reapareceu depois de algumas difíceis intervenções cirúrgicas, sempre apoiado pelos amigos e toureiros de Salamanca, nomeadamente por Niño de la Capea.

Também em Portugal toureia diversas corridas, apoderado por Fernando Camacho.

Confirmou a alternativa em Madrid em 14 de Julho de 1991, tendo como padrinho Luís Miguel Campeno e o testemunho de Antonio Mondejar.

Seguem-se diversas corridas em Espanha, Portugal e França, continuando a ser um toureiro querido em Salamanca, onde se despediu de matador de toiros em 21de Setembro de 2000.

Depois integrou a Casa Chopera como gestor taurino, tendo apoderado diversos toureiros.

Um dia e sem esperar por tal, foi convidado para gerir as actividades tauromáquicas do Campo Pequeno desde a reabertura da Praça em 2006 e durante os seguintes 14 anos, sempre com elevado profissionalismo.

Neste momento colabora como assessor na gestão das Praças de Toiros  da Nazaré, Figueira da Foz e de Almeirim, sendo também apoderado de Luís Rouxinol, Luís Rouxinol Jr e João Moura Jr..

Estas e outras memórias foram recordadas na noite de 12 de Julho de 2021, no Évora Hotel, durante o jantar da Tertúlia Tauromáquica Eborense, onde Rui Bento Vasquez foi o convidado de honra.

Manuel Peralta Godinho e Cunha

En la foto, Rui Bento entre dos monstruos del Toreo : Manzanares y Ojeda. Era el 25 de junio de 1988, día de su alternativa en la plaza de Badajoz.

 

Na foto de cima, a mesa de Honra no jantar de 12 Julho 2021.
António Teixeira, Zeca Pereira, Rui Bento Vasquez, Nico Mexia de Almeida (Cuidador da Tertúlia), Manuel Passanha Sobral e Manuel Calejo Pires.

Emblema da Tertúlia Tauromáquica Eborense.png

 

Artículo Anterior Artículo Siguiente