15º aniversário da alternativa de Mário Miguel, o primeiro matador de toiros açoriano

Por Jaime Martínez Amante.

Mário Miguel comemora hoje, 27 de Agosto, o 15º aniversário da sua alternativa como matador de toiros em Cuellar (Segovia - Espanha). 


Mário Miguel Simão Fernandes Silva, nasceu a 15 de Outubro de 1978 em Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira (Açores).


A 27 de Maio de 1999 tomou, das mãos de Luís Miguel da Veiga, seu mestre na arte do toureio a cavalo, a alternativa como cavaleiro, na praça de toiros do Campo Pequeno.


De entre as suas passagens pelas praças nacionais e estrangeiras, destaca-se o dia 4 de Junho de 1998 no Campo Pequeno em Lisboa. Nessa noite, lidou a solo seis toiros da ganadaria Palha, com a particularidade inédita de lidar os três primeiros ainda como cavaleiro praticante e os restantes três últimos como amador, lidando a pé.


A 11 de Agosto de 1998 volta a lidar a pé - como amador - no decorrer da Feira Taurina da Graciosa. Reparte cartel com João Carlos Pamplona e Francisco Cortes estando as pegas a cargo dos Forcados Amadores da T. Tauromáquica Terceirense. Lidam-se toiros e novilhos de Rego Botelho e de José Eduardo Silva.


O ano de 2000 é crucial para a sua trajetória profissional. Atua como cavaleiro profissional em 11 corridas e simultaneamente participa em 4 espetáculos misto como amador e mais tarde como novilheiro praticante.


O que provavelmente muitos aficionados desconhecem é que Mário Miguel debuta com picadores e veste pela primeira vez o traje de luces em México na tarde de 12 de Março de 2000 em Mazatlan na lide de novilhos de Real Saltillo e tendo como companheiro o rejoneador azteca Giovanni Aloi. Corta nessa tarde uma orelha. Acaba por renunciar a esse debute com picadores.

Nesse mesmo ano presta provas para novilheiro praticante em Setúbal na noite de 22 de Julho. Lidam-se, novilhos da Herdade de Pégoras e têm como companheiros Rui Pedro, Rui Alexandre e Gilberto Felipe a cavalo e Ricardo Pedro, Raúl Alonso na lide apeada. Pegam os Forcados do Ap. Barrete Verde de Alcochete.

Volta a tourear a pé a 10 de Setembro num Festival no Sobral de Monte Agraço e a 17 de Setembro na localidade da Maceira-Liz (Leiria) num festival a favor dos Bombeiros Voluntários locais.


Em 2001 atua ainda em duas corridas como cavaleiro profissional e em dez espetáculos repartidos entre corridas de toiros, festivais  e novilhadas sem picadores.

Apresenta-se em França a 10 de Junho em San Vicente de Tyrosse e em Espanha a 21 de Julho em Valladolid.


Atua, já na condição de novilheiro sem picadores, em 2002 um total de 11 espetáculos, repartidos entre Portugal, Espanha e Estados Unidos.


Em Horche (Guadalajara) na tarde de 11 de Setembro de 2003 debuta com picadores cortando duas orelhas com a respetiva saída em ombros. Lidam-se 6 novilhos de Ana Isabel Vicente Garcia e tem como companheiros Angel Gonçalez e Raul Cuadrado.Termina a temporada com 21 espetáculos.


Actua com regularidade em Portugal, Espanha, França e USA nos anos de 2004, 2005 e 2006


No dia 27 de Agosto de 2006, na praça de toiros de Cuellar (Segóvia), o toureiro açoriano recebeu a alternativa como matador de toiros, tendo sido apadrinhado por Alfonso Romero. Lidou o toiro "Fantasmita", nº 80 da ganadaria de Herdeiros de Francisco Frias Piqueras e tendo como testemunha Francisco Marcos. Corta uma orelha no seu primeiro toiro. Torna-se no primeiro matador de toiros açoriano, e entra para o clube restrito de toureiros com alternativas como cavaleiro e matador de toiros.


Apresenta-se em Portugal como matador de toiros na Moita do Ribatejo, a 15 de Setembro de 2006 frente a toiros de Conde de Cabral tendo como companheiros Nuno “Velazquez” e Miguel Angel Pereira.


Curiosamente, só se apresentou na sua terra natal na noite de 5 de Agosto de 2009 no decorrer da Corrida Mista integrada nas Festas da Praia da Vitória. Lidam-se 2 toiros de Rego Botelho, 2 de Casa Agrícola J. Albino Fernandes e 2 dos Irmãos Toste. António Ribeiro Telles, Ana Batista e os Forcados da T.T.Terceirense e do Ramo Grande completaram o cartaz.



Era casi un niño, cuando se presentó a caballo en la plaza de toros de la isla de Terceira (Açores)

Carteles de Cuéllar 2006 que incluyen la alternativa de Mario Miguel

Ya como matador de toros acompañado de su cuadrilla

Una gesta de Mario Miguel en Campo Pequeno : lidia en 1998
el solo 6 toros Palha nada menos, 3 a caballo, 3 a pie

Primera vez como matador de toros en su tierra natal

Mário Miguel


Artículo Anterior Artículo Siguiente